• Adriano Layber

OPERAÇÃO NO JACARÉ-RJ


Uma denúncia trouxe uma informação que traficantes estariam aliciando menores de idade para o crime, o que não é novidade, pois é o que acontece mesmo. A polícia apresentou tal operação ao Ministério Público (MP).

Lembrando que, o STF PROIBIU qualquer tipo de operação em comunidades durante a pandemia, ou seja, os criminosos podiam fazer o que bem entenderem lá dentro, que a polícia não deveria interferir. Mas existe uma exceção, as operações deverão ser justificadas por escrito e comunicadas imediatamente ao Ministério Público.


Preparados, treinados, armados, os policiais do grupo CORE (Coordenadoria de Recursos Especiais), que é uma unidade especial da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, invadiram a favela mais conhecida como Jacarezinho, para dar início a operação.

Foram 28 mortos, incluindo um policial civil. Todos os 27 mortos que trocaram tiro com a polícia tinham envolvimento com o tráfico, alguns com extensa ficha criminal, ou seja, os que morreram com a tal ficha criminal, eram criminosos.

Primeiramente, foi encontrado um relatório da investigação com os envolvidos dentro de uma das casas de um dos criminosos chefes, casa a qual continha alguns criminosos que a polícia encontrou durante a operação. Com isso, a PC acusa o MP de informação vazada, o MP se pronuncia dizendo que a Justiça quebrou o sigilo da denúncia, tendo sido então autorizado a qualquer cidadão o acesso ao relatório com todas as informações.

Segundamente, os Direitos humanos com alguns aliados, se pronunciaram contra a ação da polícia, os acusando erroneamente de subir favela atirando, sendo que, todos nós sabemos ou deveríamos saber que, quando o camburão da polícia chega na favela, são recebidos a tiro de alto calibre. Consequentemente, em uma resposta imediata e com a missão em mãos, os agentes bem treinados e preparados contra-atacam. E aí dá no que deu.

Chegaram para prender os criminosos, mas esses narcotraficantes não se submetem à rendição, por isso, com um fuzil na mão se acham no direito de matar a polícia.

E vocês não querem ver os agentes com uma rosa na mão pedindo para eles se entregarem né? Isso é um absurdo. Isso não acontece. Só bobo para acreditar, só alguém que está bem fora da realidade acredita nisso.

O Direito Humano constitui a essência, a natureza do homem, portanto, o homem tem o direito à vida, ao conhecimento, ao trabalho, à amizade, à religião, enfim. A preservação dos órgãos de Dieitos Humanos deve preservar isso do homem, como disse o médico psiquiatra Italo Marsili.

Quais os reais direitos foram violados nessa ação da polícia? Primeira coisa, o direito à vida, certo?! Visto que, morreram pessoas ali através de um confronto, mais especificamente uma guerra, entre os bandidos e a polícia. Pela ação dos bandidos e a resposta da polícia, temos aqui o seguinte: A coisa forma através do que? A coisa toda? Da ação da polícia, certo?! Através de uma operação em favor de garantir os direitos dos menores que estavam sendo aliciados para o crime, garantir o direito dos jovens, dos moradores. Que direito é esse? Ora, o direito à vida, à amizade, ao conhecimento, à crença.

Então, não se iluda com falácias meia boca, de quem não entende nada do assunto, de quem não está dentro da realidade, nem eu estou dentro dela, mas escrevo isso pois estou dizendo exatamente isso, essa discussão não é para quem acha que sabe de tudo, que tem que ter opinião sobre tudo. Essa discussão é para quem entende realmente do assunto, e não está no círculo de jornalistas, pois ao invés de transmitirem as notícias, ao invés de fazerem o seu trabalho, eles impõem uma opinião própria a fim de te trazer para o mesmo lado. (grande mídia, a maior parte).

A polícia não é o inimigo da sociedade. O sistema é grande, parceiro.

É o famoso enxugar gelo, é isso que a polícia faz, mesmo tirando mais de 20 criminosos da favela, no próximo dia, eles fazem promoção lá dentro. As armas que foram apreendidas, incluindo um explosivo de guerra (que nem a polícia tem), no próximo dia, estará um novo lá.

Então podemos dizer que o trabalho da polícia é em vão? A resposta é: NUNCA.

Eles se arriscam pela sua vida, pela minha, pela da sua família, que inclusive ele nem conhece. Tudo em troca de ver a justiça não funcionar para esses criminosos, pois de fato, parece que são privilegiados. Preso hoje, solto no mesmo dia. Vi de perto isso semana retrasada.

Se não existisse a polícia, a polícia boa (ainda existe), estaríamos em um caos maior. Quem critica está abaixado se escondendo, já a polícia, bota a cara e vai.

Como diz o pós-doutor em Dir. Penal, Rogério Greco, a polícia é criticada e os bandidos defendidos.

0 comentário